Foto: Maíra Zannon
Foto: Maíra Zannon

press to zoom
Foto: Maíra Zannon
Foto: Maíra Zannon

press to zoom
Foto: Maíra Zannon
Foto: Maíra Zannon

press to zoom
1/17

Clique sobre a foto para ampliar

O espetáculo (des)esperar (2007) é uma livre adaptação do clássico Esperando Godot, de Samuel Beckett e o Tratado do desespero e da beatitude, de Andre Comte Spoville.

 

Foi criado a partir de exercícios corporais, depoimentos pessoais e improvisações, o que trouxe um discurso autonômo para as intérpretes-criadoras e para a obra. A peça é um jogo de improviso com um roteiro de ações que delineia a trajetória ficcional. As atrizes a percorrem alternando entre as obras clássicas e a relação com a presença das quatro mulheres que se encontram na mesma condição, a de espera.

O roteiro define o conflito e as possibilidades de jogo em cena. Ele esclarece as fronteiras da ficção, sem criar impedimentos para a improvisação. Assim, constrói-se a apresentação no ato da cena: ação, relação e texto. Cada apresentação é única, mantendo seu frescor e vivacidade ao longo dos anos.

Currículo

(des)esperar teve sua estreia em 2007, no Teatro Helena Barcelos, na Universidade de Brasília. Ainda nesse ano apresentou-se nas mostras MOTEU (Mostra de Teatro Universitário) e Teatro Universitário Candango (TUCAN-UnB). Em 2008, 2011 e 2014 o espetáculo foi contemplado pelo Fundo de Apoio a Cultura (FAC-DF) com a circulação nas regiões administrativas do Distrito Federal e em estados brasileiros.

Em 2009, participou do Prêmio Sesc do Teatro Candango, onde recebeu o prêmio de melhor Iluminação e as indicações para os prêmios de Melhor Espetáculo, Melhor Direção e Melhor Trilha Sonora.  Em 2010, participou do Festival Mulher em Cena - DF, do Palco Giratório Sesc DF. Em 2013, esteve na Ocupação Funarte - BR020 - Práticas de Proximidade, no Festival do Teatro Brasileiro - Cena Candanga, em Mato Grosso do Sul, FESTFAC e Ocupação Independente - Grupo Tripé. O espetáculo realizou apresentações nas cidades de Campo Grande (SESC Horto), Uberaba e Belo Horizonte (Galpão Cine Horto), com patrocínio do Conselho Nacional do SESI e Porto Alegre (Teatro de Arena).